editora Escala
 
Filosofia  
       
 
 

 

Entrevista Daniel Dennett
Desconstruindo o "eu"
Muito discutido no meio acadêmico por suas teorias sobre a Filosofia da Mente, Daniel Dennett fala nesta entrevista sobre consciência, a não existência de um "eu" e a importância dos experimentos científicos nesta área

Por Flávio Paranhos

“Somos, pelo menos temporariamente, únicos – até que outra espécie desenvolva linguagem e tudo o que vem com ela – e nossos “eus” não são órgãos e, certamente, não são substâncias imateriais (egos ou res cogitans cartesianos). O “eu” é uma ficção útil, como os centros de gravidade, na Física. ”

Conhecido por seus estudos sobre a mente, o filósofo americano Daniel Dennett, 66, acredita que estados intrinsecamente subjetivos não existem e que o cérebro, em princípio, pode vir a ser substituído por próteses. Admirador de Darwin e de sua teoria da evolução, afirma que os seres humanos são apenas temporariamente únicos, “até que outra espécie desenvolva linguagem e tudo o que vem com ela.” Dennett, que estudou em Harvard e em Oxford e atualmente é co-diretor do Center for Cognitive Studies, da Universidade de Tufts, em Boston, nos EUA, onde também leciona – inclusive nas turmas de graduação , defende que os filósofos da mente devem andar de mãos dadas com os cientistas e critica aqueles que escolhem uma postura contrária: “fico impressionado com a resistência de alguns filósofos para qualquer abordagem que envolva a Ciência”.

Dennett possui uma obra filosófica extensa, mas extremamente consistente, o que o torna um dos filósofos mais respeitados da contemporaneidade. Eele recobre temas diversos, tais como a evolução, a cognição animal, a questão do livre-arbítrio e a Religião. Mas nela se nota sempre o fio condutor do mesmo filósofo naturalista, o materialista não-reducionista ou; como ele se classifica, o “funcionalista naturalista”. O funcionalismo é o materialismo que acredita que a mente pode ser instanciada por dispositivos que não sejam necessariamente o cérebro humano, estendendo sua possibilidade para sistemas artificiais. Daí não reduzir o mental, seja ao biológico seja ao silício, pois isso mostraria que a mente não depende do seu substrato físico.

Para Dennett, o mental é produto da evolução, algo que auxilia nossa sobrevivência, tanto quanto a linguagem ou outras características humanas. Eesta posição tem, contudo, colidido com a de outros filósofos da mente contemporâneos, sobretudo os que sustentam o dualismo mente-cérebro. nesta entrevista, dennett faz críticas a alguns deles, como, por exemplo, os defensores da existência dos qualia, para os quais o debate gira principalmente em torno de um experimento imaginário proposto pelo australiano Frank Jackson. Os qualia são sensações intrínsecas e indescritivelmente subjetivas, como cores, odores e sabores, que não poderiam ser captadas pela linguagem da Ciência.

Mas há ainda outras críticas. Uma é a David Chalmers, que não é explicitamente nomeado aqui, quando Dennett se refere ao hard problem. este nome, criado por Chalmers, expressa a dificuldade em estabelecer qualquer tipo de explicação para o fato de sermos conscientes de nossos pensamentos, emoções e de tudo o que ocorre em nossa mente. tudo o que ocor- re em nossa mente é acompanhado da experiência da consciência, algo que não temos a mínima idéia do que seja, exceto a certeza de que a possuímos. Chalmers não acredita que esse problema possa ser resolvido pela Ciência e aqui encontramos uma discordância com Dennett, que não acredita que a consciência continuará a ser o bastião intocado pela Ciência e o orgulho da nossa espécie.

A outra crítica é ao seu colega Ned Block. ele estabelece uma distinção entre consciência fenomênica e consciência de acesso. a consciência fenomênica seria um estado mental no qual se manifestam propriedades da experiência. temos consciência fenomênica quando vemos, ouvimos, cheiramos etc. Já a consciência de acesso é definida por Block como o conteúdo ou a informação que é transmitida por uma determinada experiência consciente. Mas dennett não concorda com essa distinção. Há ainda outros conceitos da filosofia de Dennett que aparecem nessa entrevista e que o lei- tor pode estranhar. Um deles é o de “heterofe- nomenologia”. ele designa um método filosófico de investigar a experiência em primeira pessoa dos outros, isto é, a partir de uma perspectiva de terceira pessoa.

As teorias da consciência e da intencionalidade, partes importantíssimas da Filosofia da Mente de Dennett, não poderiam deixar de constar na entrevista. São teorias complexas e, para o leitor mais curioso, sugiro a leitura do livro A Mente segundo Dennett, do professor João de Fernandes teixeira, que acaba de ser lançado pela editora Perspectiva, no qual a fi- losofia dennettiana é apresentada em lingua- gem simples e clara.

Fui aluno de Dennett, em 2008, em dois cursos na Universidade de tufts e, em meu último dia em Boston, dei início a esta entrevista, que foi finalizada com algumas trocas de e-mails.

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>

 

 

 

 

Assinaturas
 
Assine as publicações do núcleo Ciência & Vida.
Matérias, novidades acadêmicas, reportagens e muito mais.
Filosofia História historia Psique
 
Edição nº 92
SUMÁRIO DA EDIÇÃO
MATÉRIA DE CAPA
REPORTAGENS
O QUE É FILOSOFIA?
EDIÇÕES ANTERIORES
EXPEDIENTE
FILOSOFIA
LEITURAS DA HISTÓRIA
PSIQUE
SOCIOLOGIA
AGENDA
ARTIGOS
Busca
Buscar
 
 
Newsletter
Cadastre-se e fique atualizado diariamente com nosso conteúdo.
  OK
 
 
Institucional
Publicidade
Adicionar Favorito
Links Úteis
 
 
Legenda
O acesso ao conteúdo do portal Ciência&Vida é identificado por cards.
Assinante
Cadastrado



Faça já a sua assinatura!

Psique

Desvende a mente humana

Assine por 1 ano
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!

Sociologia
Um olhar sobre o mundo que no para.

Assine por 2 anos
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!

Filosofia

Pensamentos universais de forma objetiva e sem complicaes.

Assine por 1 ano
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!

Leituras da Histria

Fatos e personalidades que deixaram suas marcas.

Assine por 1 ano
12x de R$ 9,80
Assine!
Outras ofertas!


  ContentStuff - Sistema de Gerenciamento de Conteúdo - CMS